A fonte de energia do notebook é um componente vital para o funcionamento do aparelho, mas não é todo mundo que tem consciência disso — afinal, um item tão comum não deve ser complicado, certo?

Neste post, você vai ver por que a fonte de energia merece a sua atenção. Descubra como ela funciona, por que é tão importante e quais são os critérios que devem ser levados em conta ao comprar uma nova.

E aí, ficou interessado? Então continue com a gente e siga a leitura!

Para que serve e como funciona a fonte de energia do notebook?

As fontes de energia, também conhecidas como carregadores, têm como principais objetivos carregar a bateria e fornecer a energia para o funcionamento do notebook. Elas convertem a tensão da rede elétrica alternada (normalmente 110 V ou 220 V) em corrente contínua, cuja tensão fica na casa dos 15 V a 20 V e alimenta o aparelho.

Ao utilizar uma fonte de energia de boa qualidade, você estende a vida útil do seu equipamento e ainda economiza na conta de luz. Seu bolso agradece!

O que deve ser verificado em uma fonte?

É fundamental verificar a voltagem e amperagem da fonte para que sejam iguais ao do seu equipamento. Esses dados costumam ficar descritos numa etiqueta com especificações técnicas, normalmente na parte inferior do aparelho.

Vamos a um exemplo: se a etiqueta de sua fonte informa que ela tem 19 V e 3.5 A, você não deve usar uma fonte de 19 V e 2 A. Nesse caso, o computador pode até ligar, mas seu funcionamento será prejudicado. Pior: o uso contínuo poderá danificar o notebook e também a fonte, que queimará muito rapidamente, já que estará operando além de sua capacidade. 

Outro fator importante é que, quando você usa uma fonte de capacidade inferior à original, ela é incapaz de suportar adversidades como picos de variação de tensão e oscilação de energia, podendo até pegar fogo. Mas, se você não encontrar uma fonte com as mesmas especificações da original, não se preocupe: é possível comprar uma escala maior e ainda ter alguns benefícios.

Seguindo o mesmo exemplo anterior, digamos que a sua fonte de alimentação possui 19 V e 3.5 A. Nesse caso, você poderá comprar sem medo uma fonte de 19 V e 4.7 A: isso aumentará a vida útil da fonte sem causar nenhum dano ao seu notebook.

É preciso ressaltar, contudo, que essa vantagem só ocorre se você adquirir uma escala a mais. Caso a sua única opção seja 19 V e 6.7 A ou alguma outra amperagem maior que 4.7 A, não compre.

Outro item que demanda bastante atenção é o plug de alimentação do carregador: às vezes, as fontes têm a corrente e a tensão certas, mas o conector pode diferir no tamanho ou ter uma polaridade elétrica inversa.

Esses plugues variam de acordo com as marcas. Enquanto as baterias têm milhares de modelos diferentes, as fontes de notebook têm cerca de 20 a 30 modelos que atendem às marcas disponíveis no mercado.

A Sony, por exemplo, conta com o mesmo plug de conexão desde a fabricação do seu primeiro notebook até os dias de hoje (excetuando os ultrabooks). A Dell possui um sistema parecido de pinos: salvo seus primeiros notebooks e os modernos ultrabooks, todos os equipamentos utilizam o mesmo padrão, com diâmetro interno e externo que atendem toda a sua linha.

Já a HP adotou uma pinagem idêntica à Dell na maioria dos modelos a partir de 2010, como da série NX6300 — os anteriores utilizam outro tamanho e isso também vale para os ultrabooks. A partir desta linha, todos os notebooks passaram a vir com seu AC Adapter no mesmo padrão Dell.

No caso da HP, o que muda é a comunicação da fonte com o notebook: As marcas usam protocolos diferentes para os aparelhos reconhecerem os carregadores, através do pino central. Logo, se você pensou em utilizar a fonte de uma na outra, é melhor nem tentar — ou irá correr o risco de queimar o aparelho. 

Ainda assim, é comum alguns fabricantes utilizarem o mesmo padrão de pino de conexão: os modelos nacionais, como Positivo e CCE, costumam adotar essa prática.

No final das contas, você deve observar os seguintes quesitos antes de comprar a fonte de energia do notebook:

  • tipo do conector;

  • voltagem de saída (V);

  • corrente de saída (A);

  • potência (W).

Uma dica: se a fonte não informar a potência em watts, basta multiplicar o valor da voltagem pela amperagem.

Existe algo mais que deva ser levado em conta ao escolher a fonte?

Quando há uma oscilação de energia, o cabo que liga a fonte na tomada costuma esquentar bastante. Por isso, o cabo de força deve contar com um selo do Inmetro: isso garante que ele não vai derreter, dar choques ou causar incêndios.

O momento em que a bateria acaba e você coloca o notebook para carregar é quando a fonte é mais exigida. É nessa hora que as fontes mais fraquinhas acabam queimando e ocasionando problemas.

Uma boa dica para evitar isso é comprar uma fonte de uma escala maior: se a sua fonte é de, por exemplo, 65 W, passe a utilizar uma de 90 W. Esse é um procedimento que pode ser feito tranquilamente e não traz prejuízos ao equipamento — pelo contrário, acaba sendo uma margem de segurança que prolonga a vida útil da fonte de energia do notebook.

Existe algum tipo diferenciado de fonte?

Como a rede elétrica é transmitida por meio de ondas, sempre que há alguma oscilação brusca ou pico de variação de tensão ela tem seu padrão alterado e pode queimar geladeiras, eletrodomésticos e equipamentos diversos.

Pensando nisso, a fabricante BestBattery produz circuitos de proteção contra o excesso de corrente, tensão e temperatura, fazendo com que a máquina receba uma energia mais limpa. Assim, após os picos de variação de tensão, a fonte volta a receber uma energia normal e o equipamento não é afetado.

Além desses três circuitos, essas fontes diferenciadas têm, perto do pino de conexão, um quarto filtro chamado buffer. A função dele é eliminar qualquer ruído, energia estática e pequena variação de tensão que tenha passado pelas proteções anteriores. Isso evita, entre outros problemas, um fenômeno bastante comum, que são as interferências elétricas no touchpad do notebook.

A configuração do notebook também influencia o tipo de fonte a ser escolhido?

Como a fonte alimenta a placa mãe do notebook, a configuração do equipamento acaba determinando a especificidade da fonte e a força que ela deve ter. A configuração do equipamento influencia diretamente na potência da fonte, mas a maioria dos notebooks vêm de fábrica com fontes de 65 W. 

Por outro lado, os computadores voltados a programadores, gamers, designers e outros que possuem uma configuração diferenciada para usos específicos, costumam ser bem mais potentes. Nesse caso, as fontes costumam ter entre 120 W e 150 W. 

Quais as desvantagens de comprar fontes de má qualidade?

As fontes de má qualidade geralmente não contam com todos os circuitos de proteção destacados. Com isso, é bastante comum que elas queimem e acabem, inclusive, estragando os notebooks com qualquer variação de tensão na rede elétrica.

Algo muito comum e que você deve ter cuidado são as chamadas fontes logotipadas. Algumas fábricas, ao produzirem suas fontes alternativas, inserem logotipos famosos — como Dell, HP etc. — para atrair a atenção dos clientes. Nesses casos, procure analisar a embalagem da fonte, a garantia concedida e desconfie se o preço estiver muito baixo.

E aí, percebeu a importância da fonte de energia do notebook? Se você estiver procurando por um carregador de alta qualidade, entre agora mesmo em contato com a BB Baterias: temos tanta confiança nos nossos produtos que oferecemos 2 anos de garantia a todos os nossos clientes. Até o próximo artigo!